Modelos e tipos de fritadeira
Tipos de fritadeira: você sabe quais existem e como escolher?

Tipos de fritadeira: você sabe quais existem e como escolher?

Tipos de fritadeira: você sabe quais existem e como escolher?

Modelos e tipos de fritadeira

As fritadeiras são indispensáveis para o funcionamento de um restaurante ou lanchonete. O aparelho é responsável por uma série de preparos – de salgados à sobremesas.

Por sua possibilidades infinitas, as peças também se apresentam em uma extensa variedade de modelos. Para reconhecer a melhor opção para a sua cozinha industrial, basta saber a finalidade de uso que o equipamento terá em seu estabelecimento.  

Este artigo reúne as informações necessárias para que você acerte na escolha! Então, sem delongas, vamos às características. 

Antes de começarmos a conhecer as individualidades dos modelos, vale destacar que as fritadeiras de aço inoxidável são as ideais para uso profissional. 

Outra dica importante é não utilizar o mesmo óleo para processos diferentes realizados na cozinha. Por exemplo, em estabelecimentos com opções vegetarianas, os alimentos não devem ser fritos no mesmo equipamento.

Tipos de fritadeiras

No mercado há uma série de equipamentos disponíveis que conseguem atingir altas temperaturas e que garantem alimentos crocantes e saborosos. Eles podem ser compactos ou robustos e seu rendimento depende do fluxo de demanda do restaurante. 

Algumas fritadeiras também possuem temperaturas de cozimento pré-programadas para vários alimentos. 

Ao longo do artigo, também falaremos sobre alguns recursos de segurança que impedem possíveis acidentes. Sobre a limpeza, os utensílios costumam ser fáceis de desmontar e lavar (explicaremos mais sobre). 

Fritadeiras a gás

Em fritadeiras a gás, o aquecimento acontece de forma indireta e de dois modos diferentes. A peça pode ser aquecida na base da cuba de fritura ou por tubos trocadores de calor envoltos por óleo. O primeiro método é conhecido como o sistema de tacho e tem a mesma função e eficiência de uma panela sobre o fogão. Ou seja, o segundo exemplo apresenta maior desempenho. 

Ao optar por um modelo a gás ou não, deve-se levar em conta o preço do gás, da energia elétrica no local e verificar o consumo com o fabricante. 

Benefícios do a gás: 

  1. Fácil de limpar;
  2. Facilidade de acesso ao gás (botijão ou encanado);
  3. Funcionamento mesmo com quedas de energia elétrica;
  4. Rápido aquecimento;

Fritadeiras Elétricas 

Já na fritadeira elétrica, o aquecimento é feito através de resistências elétricas e, na maior parte das vezes, com aço inoxidável. Quanto à eficiência das resistências, é importante que essas não tenham potências muito altas para que o óleo não seja queimado. Se isso vier a acontecer, a vida útil dele e a qualidade das frituras diminuirão.    

Benefícios da elétrica:

  • Sem risco de vazamento de gás;
  • Costuma ser mais compacta (ótimo para cozinhas menores);
  • Fácil de instalar;
  • Simples de transportar;
  • Maior eficácia na transferência de calor (queimadores submersos)

Sistemas de Fritura

Zona fria

Neste sistema, conhecido como zona fria, a fritura se dá por um espaço fixado abaixo da resistência. No local, o óleo fica mais frio do que na cavidade superior e dessa forma grande parte dos resíduos que se soltam dos alimentos são direcionados para ele.  

Veja também:  Chapa a gás ou elétrica: características, diferenças e a melhor escolha para seu negócio

As fritadeiras que operam desse modo são indicadas para realizar um mesmo tipo de processo, ou seja, um mesmo alimento. Elas possuem ótimo rendimento para volumes e sua maior desvantagem é a transferência de gostos entre as comidas. 

Em relação ao óleo, sua vida útil é considerada baixa por conta dos resíduos que permanecem no líquido.

Tacho

O sistema de tacho é muito comum em equipamentos de bancada, mas não é o mais indicado para cozinhas com grandes demandas, pois sua eficácia não é das maiores. Em algumas ocasiões, por exemplo, as fritadeiras podem ser substituídas por panela no fogo. 

A vida útil do óleo também é curta neste método, por conta dos distritos de alimentos que são constantemente carburados.

Água/sal e óleo

O água/sal e óleo é considerado o mais eficiente entre os sistemas de fritura. Ele é dividido em dois estágios: água e sal na parte inferior, e óleo na superior. 

Acontece que com a separação, todos os sedimentos ficam na água e por meio de um dreno ela pode ser retirada, colocando uma nova leva no lugar. Com isso o óleo fica novo e com uma vida útil mais longa, podendo ser reaproveitado. 

Além de ser indicado para qualquer tipo de fritura, o modelo é uma ótima solução para restaurantes que trabalham com processos variados e grandes volumes. Sua transferência de sabor entre os alimentos é nula. 

Sob pressão

Esse é o sistema mais específico que consegue fritar frango e outras proteínas deixando-os no ponto certo de crocância. O tempo de realização também é muito menor do que outros tipos de fritadeiras. 

Conforme o exemplo que usamos acima, esse equipamento é ideal para estabelecimentos que servem frango frito.

Tamanhos

O tamanho é uma das principais características na hora de escolher a melhor opção para sua cozinha industrial. Para isso, é preciso levar em consideração a quantidade de alimentos a serem preparados por porções no equipamento. A informação é importante, pois o número de cubas da fritadeira deve atender a porcentagem de pedidos seguidos e quais alimentos serão fritos. 

Dependendo da comida a ser preparada, o tamanho das áreas de fritura das cubas pode ser insuficiente até mesmo para uma quantidade pequena. 

Formatos

As cubas costumam ser redondas e retangulares. No caso do sistema de tacho, por exemplo, as redondas são as opções mais encontradas e estas, geralmente, apresentam uma capacidade menor, mas uma área de fritura maior. 

No sistema sob pressão são disponíveis diversos formatos – até mesmo em gavetas que oferecem maior capacidade de uma só vez. Já os equipamentos de água/sal e óleo são, em maioria, retangulares e também com grande capacidade. 

Capacidade do óleo

Antes de mais nada é importante ter em mente que a quantidade de óleo em relação a capacidade de fritura não é proporcional, por isso é necessário estar atento às especificações do modelo escolhido. 

Veja também:  Tipos de materiais para panelas: características do alumínio, ferro, aço inox, cerâmica, barro e outros

Fritadeiras com a mesma capacidade podem apresentar grandes diferenças na quantidade de líquido utilizado. Não seguir a orientação do utensílio, compromete diretamente sua operação.

Cestos

O cesto está diretamente relacionado ao alimento que será preparado no utensílio. Os modelos disponíveis são: aramados, chapa perfurada, tela fina ou mais específicos para massas folhadas, tortillas ou doces variados.   

Segurança

A maioria dos equipamentos apresentam vários dispositivos de segurança, mas é sempre importante checar. Também é essencial que ele seja operado por alguém que conheça a ferramenta e saiba os padrões de segurança para evitar acidentes.  

Por precaução, escolha equipamentos com uma empunhadura ergonômica – pregador com cabo de material isolante. Se optar por modelos de piso, atente-se para aqueles com pés de borracha antiderrapante. 

Controle de temperatura e timer também ajudam a evitar acidentes. Lembre-se de que queimaduras com óleo normalmente são de alto risco.

Higienização  

A higienização de sua fritadeira precisa ser realizada regularmente. Uma boa rotina de limpeza, além de garantir o melhor funcionamento do utensílio, ainda é necessária para a preservação da saúde de quem consome os alimentos. Por acumular muita gordura, o equipamento pede uma limpeza mais minuciosa e feita em passos: cestas, interior e área externa. 

Dicas extras

Vinagre e o bicarbonato são ótimos aliados para essa a limpeza de sua fritadeira.  

Vinagre: encha a fritadeira com uma xícara de vinagre e água. Logo após, cubra com a tampa, ligue-a e deixe a mistura ferver por aproximadamente dez minutos. Retire toda a água e elimine a gordura restante com um pano limpo, por fim, enxague e seque.

Bicarbonato: faça uma pasta misturando o bicarbonato com água, aplique nas áreas sujas, esfregue com uma escova de dentes e enxágue. Esse processo elimina boa parte da gordura localizada no aparelho.     

Além de escolher o modelo ideal para melhorar os resultados de seu restaurante ou lanchonete, saiba que o equipamento errado, em contrapartida, pode atrapalhar o rendimento de seu estabelecimento e trazer prejuízos financeiros. Calcule bem os prós e contras de cada sistema! 

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
Tenha acesso a conteúdos exclusivos

Veja também

Veja mais no blog da
Di Pratos Multinox
Gestão
Produtos

Artigos mais recentes
Di Pratos Multinox - Equipamentos para Restaurantes Ltda | CNPJ: 60.048.717/0001-35
Copyright © 2004 - 2021 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Bravo Bird - Negócios Digitais